segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Quando percebemos nossa insignificância...


Tenho andado por caminhos a muito desconhecidos para mim, mas ao mesmo tempo sinto como se já os conhecesse.

Percebi, então, que o segredo daquilo que sinto hoje é o poder de meu ego ainda querendo ecoar em mim, querendo me fazer cair e me fazer voltar a caminhos que antes já tinha trilhado, mas que quase me levaram a morte.

Não sei o porquê desses sentidos tão confusos hoje, mas creio que tudo isso tem um propósito.

Então nesse meio tempo de trevas e isolamento espiritual, percebi que o poder do EU é que me faz ainda vir abaixo, foi aí que percebi minha insignificância, minha luz, minha paz.

Não sei mais se posso chamar tal coisa de insignificância, mas nomeio dessa forma visando que não preciso de um significado para viver, mas sim de um propósito.

Hoje eu sei que desfalecerei somente quando meu propósito for cumprido aqui nesse plano.

Então, ouso afirmar que:

Quando percebemos nossa insignificância, nos encontramos conosco, e vemos para onde temos que ir... Mas será isso suficiente?”

Gleilson Alves

2 comentários:

bethe_domingos@hotmail.com disse...

BETE DOMINGOS: É ISSO AI, TEMOS QUE RECONHECER QUE NADA SOMOS, E QUE TEMOS QUE MORRER, PRO NOSSO EU..., LOGO O ESPIRITO VIVIFICA.EU SEI,QUE NESTE SILÊNCIO, QUE VEM A TRANSFORMAÇÃO .E TEMOS QUE SER CONSCIÊNTE QUE TODOS OS DIAS APRENDEMOS ALGO NOVO.E SER GRATO PELA MISSERICÓRDIA DO SENHOR, QUE NÃO TEM PREÇO.PQ ELE JÁ VENCEU NA CRUZ.UM ABRAÇO.

Edson Carmo disse...

O que o homem constrói em si é nada. O que Deus faz do homem é tudo. O ego por maior que seja é insignificante - porque é mentira. O Ser, por menor que seja é extremamente significante, porque é a Verdade.

A menos que ache o que há de Deus nele, o homem nunca deixará de ser insignificante.

Edson Carmo