terça-feira, 6 de outubro de 2009

Sinceridade


Falar sobre tal coisa é como falar sobre a natureza de Deus, é quase impossível.
Deus nos mostra que a sua grandeza é mais do que possamos imaginar e compreender.
A sinceridade de um ser humano é medida por seu grau de amor ágape que encontra-se nele.
O amor incondicional é a natureza de Deus no homem, e através de tal coisa podemos desenvolver um grau de sinceridade que é inimaginável, a ponto de nossa divindade adormecida ser mais luminosa e deslumbrante aos olhos de um ser humano comum.
Quando desenvolvemos tal coisa podemos dizer que Deus realmente faz parte de nós, podemos dizer que realmente somos filhos do Criador das galáxias e do universo.

Ser sincero é ter amor sem limites pelo próximo, não por culpa ou por peso na consciência, mas por ter um amor real pela vida humana criada por Deus.

Entregamo-nos a coisas carnais e sem perceber mergulhamos em um mar de uma falsa sinceridade e acabamos com todas as expectativas de ser imagem de Deus.

O mundo mascarou a verdadeira face da sinceridade, onde ele mostra que ser sincero através do medo é uma sinceridade real e única, mas vemos através de Deus que não é assim.
Vemos que Deus quer um arrependimento de coração e não por medo ou qualquer outra coisa que nos força a aceitá-lo, ele quer uma sinceridade vinda de nossos corações, do mais intimo de nosso ser.

Por isso digo:
De que vale o homem dizer que se arrepende sem ser sincero de coração, sem amor a Deus e se iludir com uma falsa salvação e naquele dia o Criador olhar pra ele e dizer: “Eu vos conheço?”.


Gleilson Alves

Nenhum comentário: